domingo, 15 de novembro de 2015

Paris. Mariana. Síria. Japão. Mundo.

Ontem ao acordar, vi no jornal a matéria dos atentados em Paris.
Chorei de tristeza.
Assim como chorei por Mariana.
Assim como chorei pelo menino morto na praia.
Assim como choro e chorarei por todas as tragédias causadas pelo ser dito humano.
E me pergunto que mundo louco é  esse em que uma empresa mata mais de 400 pessoas e até agora ninguém é penalizado? Que mundo é  esse em que,  em nome de uma religião, a pessoa se acha no direito de matar outras pessoas?
E, acima de tudo, que mundo e esse, onde as pessoas criticam umas às outras nas redes socias porque elas pedem preces para esse ou aquele lugar?
Não podemos ser tão cretinos ao ponto de achar que esse tipo de crítica cabe numa situação dessas.
Preces... pelo mundo inteiro. Por cada ser humano.  Bom ou mau. Porque os maus precisam também de nossas orações. Porque os maus não sabem que é o amor. Não sabem que o amor está acima de toda e qualquer crença. Porque não é necessário acreditar no amor, basta senti-lo. E então tudo se transforma.
Por isso, eu peço: amem seus filhos. Amem muito, muito seus filhos. Amem até na hora da bronca. Abrace,  beije, brinque junto. Faça surpresas no meio da semana. Pegue na escola, compre um chocolatinho, faça cabana de lençol  na sala. Mostre a ele que você o ama acima de tudo. Porque quem é amado não é manipulado e não encontra motivos para matar.
Amor é vida. Amor é paz.
"Agora, pois permanecem esses três : a Fé  a Esperança  e o Amor. Porém, o maior deles é o AMOR" - Corintios 1-13.

Nenhum comentário:

Postar um comentário