quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Candidíase em bebês

Há duas noites passamos um sufoco aqui em casa. 
Nina acordou gritando, desesperada e nós não sabíamos o que era. Eu pensei em dor de ouvido, porque ela está no meio de um tratamento de otite, então corri esquentar paninhos para colocar no rostinho dela. Até que, lá pelas 4 da manhã ela se acalmou e finalmente dormiu. 
Mas como sou o tipo de mãe exagerada, logo pela manhã acordei o maridon e decretei: vamos ao médico.
Sim, ela ainda está com infecção no ouvido médio, mas a causa do choro desesperador era oura: candidíase.
Eu nem sabia que bebês podiam pegar esse fungo, mas a médica nos disse que é muito comum em meninos e meninas, principalmente quando fazem uso de antibióticos.
Medicada, voltamos para casa e eu fui googlar (lógico) e encontrei essa matéria super interessante no blog trocando Fraldas, por isso decidi compartilhar aqui no blog.

A grande maioria das mamães ao ouvir que seu bebê esta com candidíase, se assusta questionando a possibilidade já que se trata de uma doença tão conhecida em mulheres adultas. Mas sim é possível e não se apresenta somente na área genital, mas como também na boca, mas conhecida como “sapinho”.
A candidíase ou cândida albicans como é conhecida cientificamente, é uma infecção que afeta a mucosa bucal, estourando pequenas bolinhas embranquecidas no interior das bochechas, língua e céu da boca. Lesões bem doloridas que costumam dificultar a alimentação e aparecem principalmente em bebês até 2 meses de vida. Outro caso da candidíase em bebê e a mais assustadora para as mamães, é a candidíase encontrada na área genital do bebê, acometendo principalmente bebês que ainda utilizam fraldas.  Aparece como uma vermelhidão parecida com assadura, geralmente causam coceiras e pequenas bolinhas ao redor, parecidas com espinhas e não se curam com pomadas de assadura convencionais.
Esse fungo esta presente no sistema digestivo de todo ser humano e não proporciona nenhuma mal, porém ele se manifestará em algumas situações como:
  • Imunidade baixa
  • Utilização de antibióticos
  • Alterações hormonais
  • Portadores de diabetes e HIV
Como tratar a candidíase em bebês?
Podendo também ser adquirido da mãe para o bebê através da amamentação, durante a passagem vaginal no parto normal (caso a mãe esteja com candidíase vaginal) e alguns casos de candidíase em bebê, ocorrem pelo fato do fungo estar alojado nos bicos de mamadeira utilizados pela criança.
No caso de candidíase bucal ou sapinho, é aconselhada a consulta do pediatra para verificação da gravidade ou ate mesmo a confirmação. Geralmente é receitada medicação antifúngica e no caso de bebês ainda amamentados no seio, que a mãe utilize uma pomada antifúngica nos mamilos. Nos casos das mães que possuem a candidíase vaginal e tiveram parto normal, os bebês devem imediatamente ser tratados comantibióticos para que não se manifeste reações. Já nos casos dos bebês que tem essa candidíase, é aconselhado à utilização de soluções a base de violeta genciana, manter o local limpo e seco e evitar a utilização de qualquer produto que tenha essências, como por exemplo, o lenço umedecido. O aconselhado é manter o local limpo com água e sabão neutro e se possível evitar o abafamento da fralda.
A candidíase tanto oral como genital pode ser bem dolorida, mas raramente é considerado um problema grave. Só devemos ficar alertas, caso os sintomas não desapareçam em 2 semanas,  necessário que consulte o pediatra novamente, pois principalmente a candidíase oral em bebês afetam a alimentação deles, que pode ocasionar a perda de peso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário