domingo, 6 de setembro de 2015

Primeira viagem com o bebê

A primeira vez que viajamos com a Malu ela já era grandinha. Bom, quero dizer, ela já andava. Ou seja, não era tão bebê quanto a Nina. Talvez por isso meu receio de pegar a estrada com a pequena.
Mas ontem acordamos, enfiamos as malas no carro e viemos.
Escolhemos a cidade de Olímpia por que tem termas e, tecnicamente não é tão longe.
Só que a viagem demorou horrores!
Começando pela marginal pinheiros travada em pleno sábado, passando pela rodovia dos Bandeirantes absurdamente lenta (sem motivo aparente) e sendo coroada por quilômetros e mais quilômetros de via sem um único posto de gasolina, essa foi, com certeza, uma viagem pra não se esquecer nunca.
Nina até que se comportou bem na ida. Dormiu quase a viagem inteira.Escolhemos parar no Graal, por ser um posto conhecido de longa data e porque eu sabia que teria fraldario.
Como era hora do almoço, decidimos fazer uma refeição. Malu escolheu um espaguete com molho pomodoro, que ao experimentar eu aceito que não estava muito bom. Disse pra ela trocar por outro prato, e ela assim fez. Mas foi tarde.
Malú tevê uma intoxicação alimentar e passou mal a madrugada inteira.
Pedi na cozinha do hotel um soro caseiro e água de coco e passamos o domingo cuidando dela.
Graças a Deus ela foi melhorando ao longo do dia.
No hotel tem uma brinquedoteca fofa, com monitores, mas eu preferi ficar com a Nina. Já Malu conseguiu atenção da Tia Coruja, que cuidou dela o tempo inteiro.
Nina se divertiu podendo ir de lá pra cá sem obstáculos.
Mas quando voltamos para o apartamento, nos distraímos um momento e Nina caiu de cabeça no chão....
Um baita susto.
Por sorte ela caiu engsitnhando, então a queda foi pequena e logo ela ficou calma. Não deixei dormir porque sempre ouvi minha avó dizer que quem bate a cabeça não pode dormir.
Nossos problemas, porém, não ficaram por aí.
Na segunda, ao fazer check-in. Primeiro oa 3 elevadores que atendem os 13 andares, com mais de 10 apartamentos por andar, estava sempre lotado. Pedimos carrinho para as malas, mas não vinha nunca então decidimos descer nós mesmos, com malas, bebê e sacolas. Ao finalmente chegar na recepção, tivemos uma surpresa nada agradável: recebemos uma nota com várias cobranças indevidas.
O atendente simplesmente não queria nos dar razão e eu fiquei muito chateada.
Maridon pegou a notinha e pediu o comprovante com nossas assinaturas. Não tinha! Claro que não. Então chamamos o gerente, mostramos o erro e depois de um looooongo tempo o valor foi corrigido.
Por fim o rapaz que levou nossas malas para o carro esqueceu metade delas pra trás... tivemos que retirar as que já estavam e recolocar todas para caber.
Na volta paramos no posto Shell na entrada da cidade para abastecer. Enchemos o tanque, mas antes de chegar a Rio Claro notamos que estávamos quase na reserva.
Paramos num posto qualquer e advinha: nosso carro foi abastecido com combustível adulterado!
Depois disso teve a tempestade e o trânsito infernais. Nina com diarréia e Malu passando mal.
Pois é, não foi o feriado que eu sonhei, mas graças a Deus chegamos em casa bem.
Afinal, não há melhor lugar do que o nosso lar, não é mesmo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário