quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Marias

Eu quase não coloco fotos das Marias, mas essa está tão fofa que eu não resisti!

Biquinhos mais lindos!

PS: detalhe pro jaba  do blog no body da Nina rsrs

domingo, 27 de setembro de 2015

Cansada

Hoje eu realmente cogitei a hipótese de não blogar. .. foi uma semana tão difícil,  com as duas Marias doentes, tomando antibiótico  e meu celular na assistência  técnica. Enfim, minha cabeça está fervendo até agora.
Mas depois eu pensei : "hei, esse blog é  para falar sobre o dia-a-dia de ser mãe de meninas.  Não posso deixar isso passar sem registro"
Então,  estamos aqui!!
Logo na segunda tivemos que correr com Malu para o hospital. Ela estava dormindo e do nada começou a sentir fortes dores na coxa direita. Chorava mesmo. Meu esposo fez massagens e eu dei alivium,  mas nada melhorava.  O jeito foi pegarmos as meninas e irmos ao médico.
Como em outras ocasiões,  a plantonista "sugeriu"  ser dor do crescimento.  Digo que ela sugeriu porque não tem como comprovar  que é  isso o que acontece quando ela sente essa dor.
Eu pedi um ultrassom mas ela simplesmente se recusou, dizendo que quem deveria pedir exames é  o pediatra que a acompanha.
Penda numa pessoa descompensada!  Sim, esse cara era eu. Aquilo não é  um hospital?  Eles não deveriam ter todo tipo de equipamento disponível para todo tipo de emergência?  Como assim ela não podia pedir um ultrassom ???
Meu marido teve mesmo que interferir ou eu dava na cara daquela mulher.
Voltamos pra casa com uma receita de dipirona (ninguém merece) e acabamos indo dormir lá  pelas 1h30 da manhã.  No outro dia eu estava podre.
Pensando que eu dormi na terça? Ah,  quem me dera.
Terça foi a vez da infecção urinária  reaparecer.
Mais uma vez fomos ao PS e, pelo menos, conseguimos fazer exame de urina e sair de lá com uma receita de antibiótico.
E lá vamos nós pra quarta, quando finalmente ligaram da assistência técnica  informando que o celular tá vá pronto.
Uma semana sem ele. Sem snapchat.  Sem blogar.  Realmente um exercício de desapego tecnológico e social.
É eu consegui ir dormir as 20h  !!!
É,  parece coisa de gente velha, mas eu estava tão podre...
Acordei revigorada na quinta.
Sexta feira peguei os exames da Malu e liguei pra remarcar o pediatra e descobri que eu não posso marcar duas consultas  no mesmo mês  pro mesmo profissional.
O que me deixou nem furiosa, já que se trata de um retorno ao medico que pediu os exames. .. Será que o convênio  é  tão estúpido que não perceba que tem consultas que precisam se retorno?  Nem respondam... Eles são.
Enfim, tenho que esperar dar 20 dias entre uma consulta e outra.
E agora estou aqui, desesperada pra dormir cedo e sem sono algum.
Meu metabolismo realmente não se entende com meu cérebro.

domingo, 20 de setembro de 2015

Infecção urinária

Só de ouvir essa palavra a gente treme... Malu ainda usava fraldas quando teve a primeira infecção urinária. Lembro que a enfermeira colou (literalmente) um saquinho na virilha dela e nos tivemos que esperar até que ela finalmente fizesse xixi para poder fazer a cultura.
Depois disso, todo ano passamos por isso.
Eu sempre fervo as calcinhas, passo a ferro e descarto periodicamente, faço questão de limpá-lá quando faz cocô (infelizmente na escola não estou presente para ajudá-la) e por mais que a gente ensine, tem sempre uma brecha por onde a bactéria passa.
Eu costumo dar muito cha de camomila pra ela, porque um pediatra nos ensinou que é um remédio natural, mas quase sempre ela acaba tomando antibiótico, porque a infecção não passa.
Como toda mãe eu busco informação em todos os meios possíveis (e não me envergonho de pedir conselhos e até receitinhas da avó), para ajudar minha pequena, até porque conheço muito bem esse incômodo.
Por isso decidi colar aqui esse artigo, do site ABC da Saúde para ajudar outras mamães que estão passando por esse problema.
Claro que a Internet não substitui uma consulta médica. Por favor, não deixem de levar seus pequeninos ao hospital, caso identifiquem os sintomas a seguir nos seus filhotes:

" A IU é definida pela presença de microorganismos na urina em qualquer parte do aparelho urinário. A identificação do microorganismo causador da IU é fundamental para o diagnóstico e o tratamento adequado.

Tanto nos meninos como nas meninas, o agente mais comum é a Escherichia coli, bactéria da flora intestinal, responsável por 80% a 95% dos casos de IU. Segue-se, em ordem de freqüência, estafilococo, proteus e klebisiela. Mas o trato urinário, também, pode ser atacado por vírus (adenovírus), fungos, bacilo da tuberculose.

A principal via de contaminação do trato urinário é a ascendente. A partir da flora bacteriana da região perianal, é que se dá a contaminação urinária. Somente em infecções generalizadas (septicemia) pode ocorrer que a via sangüínea seja a fonte de infecção urinária, mas isto é excepcional.

O que se sente?

Na maioria das vezes, a IU em crianças apresenta sintomas urinários iguais aos dos adultos: ardência, urgência e freqüência urinária aumentada. Mas, em muitos casos, podem surgir sintomas diferentes e a criança apresentar-se irrequieta, irritadiça, sem fome e emagrecer. Fica com medo de urinar. Algumas vezes, ocorrem sintomas digestivos com dor abdominal, náuseas, vômitos, diarréia, febre e até icterícia (amareläo). Raramente, a IU em crianças é sem sintomas, mas quando isto acontece o diagnóstico fica mais difícil de ser feito."

domingo, 13 de setembro de 2015

9 meses

Ontem meu bebê completou 9 meses. Um ciclo completo.
Depois de 9 meses no ventre, finalmente 9 meses aqui fora.
E eu não comemorei como vinha fazendo todos os meses.
Não porque não havia motivação e sim porque foi uma semana tão difícil.
Nina com otite. Tomando antibiótico. Chorosa, carente. Com dor.
Fazemos de tudo para que ela fique bem, mas as vezes a dor vem forte.
As noites tem sido estranhas. Ela dorme pouco. A gente dorme pouco. E o frio não ajuda.
E a Malú também não está 100%
Descobrimos que ela tem um rim maior que o outro. Chamam de assimetria renal.
Ainda não sabemos nada. Se é grave, se tem tratamento... marquei com nefrologista, mas só vai nos atender no mês que vem... Por enquanto buscamos informações no google e evitamos falar na frente dela.
Estamos rezando para não ser nada demais.
Pelas duas.

domingo, 6 de setembro de 2015

Primeira viagem com o bebê

A primeira vez que viajamos com a Malu ela já era grandinha. Bom, quero dizer, ela já andava. Ou seja, não era tão bebê quanto a Nina. Talvez por isso meu receio de pegar a estrada com a pequena.
Mas ontem acordamos, enfiamos as malas no carro e viemos.
Escolhemos a cidade de Olímpia por que tem termas e, tecnicamente não é tão longe.
Só que a viagem demorou horrores!
Começando pela marginal pinheiros travada em pleno sábado, passando pela rodovia dos Bandeirantes absurdamente lenta (sem motivo aparente) e sendo coroada por quilômetros e mais quilômetros de via sem um único posto de gasolina, essa foi, com certeza, uma viagem pra não se esquecer nunca.
Nina até que se comportou bem na ida. Dormiu quase a viagem inteira.Escolhemos parar no Graal, por ser um posto conhecido de longa data e porque eu sabia que teria fraldario.
Como era hora do almoço, decidimos fazer uma refeição. Malu escolheu um espaguete com molho pomodoro, que ao experimentar eu aceito que não estava muito bom. Disse pra ela trocar por outro prato, e ela assim fez. Mas foi tarde.
Malú tevê uma intoxicação alimentar e passou mal a madrugada inteira.
Pedi na cozinha do hotel um soro caseiro e água de coco e passamos o domingo cuidando dela.
Graças a Deus ela foi melhorando ao longo do dia.
No hotel tem uma brinquedoteca fofa, com monitores, mas eu preferi ficar com a Nina. Já Malu conseguiu atenção da Tia Coruja, que cuidou dela o tempo inteiro.
Nina se divertiu podendo ir de lá pra cá sem obstáculos.
Mas quando voltamos para o apartamento, nos distraímos um momento e Nina caiu de cabeça no chão....
Um baita susto.
Por sorte ela caiu engsitnhando, então a queda foi pequena e logo ela ficou calma. Não deixei dormir porque sempre ouvi minha avó dizer que quem bate a cabeça não pode dormir.
Nossos problemas, porém, não ficaram por aí.
Na segunda, ao fazer check-in. Primeiro oa 3 elevadores que atendem os 13 andares, com mais de 10 apartamentos por andar, estava sempre lotado. Pedimos carrinho para as malas, mas não vinha nunca então decidimos descer nós mesmos, com malas, bebê e sacolas. Ao finalmente chegar na recepção, tivemos uma surpresa nada agradável: recebemos uma nota com várias cobranças indevidas.
O atendente simplesmente não queria nos dar razão e eu fiquei muito chateada.
Maridon pegou a notinha e pediu o comprovante com nossas assinaturas. Não tinha! Claro que não. Então chamamos o gerente, mostramos o erro e depois de um looooongo tempo o valor foi corrigido.
Por fim o rapaz que levou nossas malas para o carro esqueceu metade delas pra trás... tivemos que retirar as que já estavam e recolocar todas para caber.
Na volta paramos no posto Shell na entrada da cidade para abastecer. Enchemos o tanque, mas antes de chegar a Rio Claro notamos que estávamos quase na reserva.
Paramos num posto qualquer e advinha: nosso carro foi abastecido com combustível adulterado!
Depois disso teve a tempestade e o trânsito infernais. Nina com diarréia e Malu passando mal.
Pois é, não foi o feriado que eu sonhei, mas graças a Deus chegamos em casa bem.
Afinal, não há melhor lugar do que o nosso lar, não é mesmo?