quinta-feira, 14 de maio de 2015

A gripe, a dengue e a preguiça dos médicos

Desde domingo a Nina está com coriza. fica difícil respirar e como ela ainda não sabe dizer aonde dói, chora.
Ontem fomos ao hospital porque ela estava com 38 de febre. A médica do PS recomendou aquilo que a gente já estava fazendo desde domingo: inalação, alivium ou tylenol se dor ou febre.
E confesso que nessas horas me sobe uma raiva pela garganta.
Se eu estou num hospital é porque não está funcionando o que faço em casa. Talvez eu esteja tratando de algo que ela não tem.
Será que me fiz entender?
Estamos num surto de dengue em São Paulo e eu acho que no mínimo ela deveria ter pedido um exame pra descartar a doença, mas quando eu pedi ela fez aquele olhar de "eu sei mais do que você" e disse pra eu ficar tranquila que era SÓ uma gripe forte.
Pois bem, a Nina está com aparência melhor e já está rindo e brincando, o que demonstra que a dor já passou, mas ela ainda tem picos de febre e eu realmente acho um absurdo que os médicos se neguem a fazer exames específico nos hospitais.
Pra quem paga plano de saúde isso já é um descaso, imagina pra quem depende do SUS!
A dengue está aí com força total e até onde eu sei ela não anda poupando ninguém.
Pelo sim, pelo não, eu sempre penso que é melhor ter certeza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário