segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Gripe e outros causos

Passei três terríveis dias da semana passada com nariz entupido e um sentimento horrível dentro de mim.
Além da gripe, eu me sentia mal por estar dando o peito para a Nina e, consequentemente, expondo ela ao meu vírus. E eis que meus temores se concretizaram na quinta-feira e minha pequenina pegou minha gripe.
E a coisa foi feia.
Os bebês na idade dela não conseguem escarrar, e aquela secreção toda fica presa dentro do nariz. Eles também não sabem que podem respirar pela boca, ou seja, Nina ficava sem ar, várias vezes. Então a levamos para a emergência de uma clínica aqui perto de casa. Infelizmente o plantonista (usando seu All Star azul de cano alto) era um molecote tosco que nos deu receita de inalação com soro e nos mandou devolta para casa. Oras, eu sei que inalação ajudará, mas será que podemos fazer uma aqui, para aliviar os sintomas agora?
Não. Ele não deixou.
Além de indignada eu estava apavorada, porque Malu só veio ter gripe com quase 1 ano de idade, então eu não sabia bem o que fazer para ajudar a Nina a respirar. Eu e meu marido decidimos, então, ir para um hospital grande.
Ficamos lá desde ás 2h até ás 4h. Nina fez inalação e as enfermeiras #fofas acompanhavam e me acalmavam o tempo todo. Quando minha filha começou a respirar sem dificuldades, o médico nos aconselhou voltar pra casa, fazer inalação a cada 6h com soro e se ela tivesse febre, voltar ao hospital.
Ela ainda está gripada e as noites tem sido looooongas, mas graças a Deus ela não teve mais episódios de falta de ar.
Estou levando ela para tomar inalação no posto de saúde 1x por dia, porque lá ela tem acesso a oxigenio e fora isso estamos fazendo inalação nela, em casa, a cada 4h.
Mas aquele sentimento de indignação ainda não passou.
Aquele médico deve estar em seu primeiro emprego pós faculdade e, por algum motivo, escolheu ser pediatra. Como pôde sequer olhar para nossa filha? Como pôde negar uma inalação a um bebê de 2 meses?
Nem todo mundo nasce para a medicina, isso é certo. Mas ainda assim eu penso que todos (absolutamente todos) os que se comprometem com uma profissão, devem fazer o melhor possível.
E a inalação era possível e não custaria nem uma moedinha do bolso dele.
Enfim... nunca mais volto lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário