terça-feira, 25 de novembro de 2014

Parto

"Mas, Mariana, por que você vai fazer uma cesárea?"
Ai que belezinha poder responder "porque sim!" - rápido e rasteiro. Mas infelizmente já tentei e ao invés de ouvir o doce som do silêncio, em seguida ouço um discurso inflamado sobre os benefícios do parto normal natural e humanizado. E isso me incomoda, não porque eu não entenda os benefícios do parto normal humanizado, mas porque as inquisidoras não entendem (nem respeitam) a MINHA vontade.
Eu já escrevi aqui no blog que não vejo nada de normal em sentir dor e trazer um filho ao mundo debaixo de gritos desesperados. Nem acho natural ter uma cabeca passando pela sua vagina e l, sinceramente não vejo nada de humano em ter gente colocando a mão dentro de você pra medir dilatação (afinal por que ainda não inventaram um equipamento que meça isso de forma eletrônica???)  Não, eu não acho que essa é a forma mais adequada de chegar ao mundo. Mas também nunca critiquei quem escolhe esse método. Claro que se eu pensasse em parto normal ele seria regado a muita anestesia, mas (dizem) deixaria de ser natural.
Outra coisa é o termo "humanizado"... Sério, eu acho que esse termo é usado fora de contexto. Se há respeito com a parturiente e se estão fazendo o máximo para atender aos seus pedidos e deixá-lá confortável, a meu ver, até uma cesárea pode ser humanizada.
E por fim, mas não menos importante, o fator medo é sim decisivo.
Eu tenho medo da dor, tenho medo de episiotomia e tenho medo de ter dez pessoas enfiando a mão na minha vagina a cada hora pra ver a minha dilatação.
Portanto eu vou fazer outra cesárea.
Se isso não lhe deixa feliz, problema seu.
Meu corpo é problema meu e eu decido o que fazer com ele.
Estamos conversados?

Nenhum comentário:

Postar um comentário