quarta-feira, 12 de novembro de 2014

35 semanas e algumas novidades não tão boas

Então eu, que estou de repouso esses dias, chamo meu esposo e peço que ele pegue a mala pequena de viagem para eu arrumar nossas coisas.
Malu, curiosa como sempre, pergunta pra onde nós vamos.
- Pra maternidade.
- E precisa de mala por que?
- Oras, filha, porque eu e papai vamos passar dois dias lá - respondo com naturalidade.
Mas ela não recebe a notícia bem. Logo começa a chorar copiosamente, chega a soluçar e tanto desespero. Tudo porque, ninguém disse a ela que pra ter neném precisa dormir fora de casa - e desde que ela nasceu nós nunca dormimos longe (aliás, ela dorme em nossa cama todas as noites);
Eu também não soube como reagir, porque achei que ela já tivesse entendido que a bebê irá nascer na maternidade e que eu vou ficar internada pelo menos 2 dias lá e que o papai irá me acompanhar.
O plano inicial era que ela fosse para a casa da vovó e eu e meu marido ficássemos juntos no hospital. E ela tem razão, eu nunca disse isso pra ela. Fui tola. Achei que ela iria AMAR dormir na casa da vovó, com direito a guloseimas e televisão até tarde.
Mas ela não quis conversa. Não quer ficar sem papai e mamãe.
Agora, com esse escândalo desesperador eu já não sei mais.
Como mulher, esposa e grávida eu realmente não quero ficar sozinha na maternidade.
Mas como mãe eu entendo que minha filha mais velha não pode ficar longe dos pais, pela primeira vez na vida, numa situação dessas.
Imagine que péssima primeira impressão ela terá da irmã? O primeiro dia da sua existência na Terra, meus pais me abandonaram sozinha.
Pobre Malu...
Pobre de mim.
Faltam 3 semanas e eu realmente não estou feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário