terça-feira, 2 de setembro de 2014

Maternidade e Trabalho

Hummm... assunto polêmico, mas eu quero muito falar sobre isso.
Vejo tantas, mas tantas mulheres sendo "mães empreendedoras" que estou apavorada com o conceito de maternidade no século XXI.
O que é ser mãe, afinal?
É continuar a faculdade, mesmo estando grávida? É fazer viagens de trabalho para cumprir suas obrigações, mesmo perdendo a primeira apresentação de ballet da sua filha no colégio? Será juntar títulos, diplomas e dinheiro (quantos mais, melhor) enquanto seu filho fica entre 8 e 12 horas por dia num colégio, ou com uma babá?
É uma crítica... possivelmente. Mas não é uma acusação, porque eu sou mãe, estou grávida e trabalho, mas não deixo de almoçar com minha filha todo santo dia e sair correndo do trabalho no final do expediente para poder ficar com ela (sim, eu troco happy hour e balada por chá de bonecas e my little pony).
Acho que esse post tem muito mais haver com sentimento de culpa ligado a uma total indefinição do que é o futuro e o sucesso.
Meus pais tiveram sucesso na vida.
Não, não são ricos, donos de propriedades e nem rodaram o mundo em viagens deliciosas e românticas.
Mas ambos nunca perderam um aniversário dos filhos, apresentação de ballet, formatura de pré... e não perdem dos netos. E é um barato ver a quantidade de fotos que tiraram ao longo dos anos e as histórias ligadas àquelas fotografias.
Muitas das mães de hoje em dia vão ver as fotos tiradas pela babá ou pela professora da escola. Não vão ter histórias para contar sobre aquelas fotos, não vão ter estado lá, porque estavam envolvidas em outras tarefas... e agora vem a pergunta: tarefas mais importantes do que serem mães?
Eu não admiro essas mulheres e até sinto pena delas.
Me pergunto "por que quiseram ter filhos se não têm o fator primordial para serem mães: tempo"
Sim, tempo é essencial.
O tempo que você passa penteando o cabelo é curto e necessário para que sua filha pegue a escova e tente te imitar diante do espelho. O tempo que você passa fazendo uma refeição mostra aos seus filhos como sentar, como pegar o talher, como é o ritual que você segue... isso é a herança que você nem percebe que deixa, mas deixa.
Mas se você não está lá, eles vão aprender com os outros e serem iguais aos outros e um dia você vai olhar para aquelas crianças, que sairam do seu ventre, mas não vai reconhecê-las.
Ser mãe é mais que pagar contas.
Aliás, ser mãe não tem nada haver com pagar contas.
Tem haver com tempo, com exemplo, com orientação.
Ser mãe não é ter "tempo de qualidade"... é ter tempo e só.
Se você não tem tempo, então faça um favor para a humanidade no futuro: não tenha filhos.
Porque eu vejo crianças mal educadas, birrentas e consumistas em todos os lugares e basta olhar para seus pais, passivos e apáticos ao lado para saber que se trata de pessoas sem tempo, que passam a semana trabalhando e delegam a educação de seus filhos para a escola, para a babá, para a avó...
Nenhuma dessas pessoas tem obrigação de dar educação às suas crianças, por isso elas não tem obrigação de serem educadas.
E os papais e mamães de fim de semana não querem se estressar, no dia de descanso, tentando educar.
É isso que eu vejo e sinto, e lamento se ofendi alguém, mas eu realmente acredito que seus títulos e diplomas podem até torná-la uma excelente profissional, mas não farão de você uma boa mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário