sexta-feira, 25 de julho de 2014

O parto

Mas, Mariana, não é muito cedo pra falar de parto??
Sim, é cedo. Mas tive uma conversa hoje com uma amiga que está com 38 semanas de gestação e resolvi postar alguma coisa a respeito.
Vou começar dizendo que não sou defensora de nenhum tipo de parto. Acho até que já falei isso aqui, mas estou reforçando minha opinião. Eu defendo que mãe e filho fiquem bem, durante e depois do procedimento.
Infelizmente algumas pessoas simplesmente cismam com a forma de parir e não com o resultado em si.
Já vi mulher levantando bandeira pelo parto normal/vaginal inclusive acusando a mãe que faz cesárea de não ser mãe. Já ouvi mulheres defendendo a cesárea como forma inteligente e moderna de pôr um filho no mundo. E pra dizer a verdade nunca compreendi nenhuma das duas.
E eu aprendi com minha primeira gestação que o importante é o bebê.
Essa semana nasceu o filho de um colega de trabalho. A mulher queria porque queria parto normal e não aceitou os conselhos médicos, mesmo depois de 42 semanas. Resultado: o bebê comeu mecônio, teve problemas pulmonares e está na UTI.
Isso pra mim, definitivamente, não é normal.
O que eu quero, o que eu penso, o que eu sonho vem em segundo plano.
Se minha filha decidir nascer de parto natural/normal/vaginal, ela virá e será o dia mais feliz da minha vida.
Mas não vou bater o pezinho e fazer birra se algo acontecer e eu tiver que fazer uma cirurgia.
Sério, não vou morrer de culpa, não vou achar que a anestesia vai deixar meu bebê letárgico, nem vou ficar chorando pelos cantos me sentindo a pior das mães porque meu bebê não passou pela minha vagina.
Enfim, me critiquem, eu não ligo. Minha opinião é essa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário