sexta-feira, 30 de maio de 2014

Enjoada, eu??

Normalmente os 3 primeiros meses de gravidez são os piores.
Você sente dores nas mamas, enjoos diários, tonturas e dores de cabeça... é bem sacrificante.
Mas na minha primeira gestação os enjoos não ficaram só no primeiro trimestre... foram nove meses de vômitos diários. A coisa era tão séria que eu não engordei, minha barriga de 9 meses parecia a de 6 meses de uma mulher que não sofre do mesmo mal;
E agora parece que não é diferente. Cheguei a engordar 500 gramas, mas já emagreci 2kg. Os enjoos não são apenas matinais, a cada coisa que eu como me dá náuseas e tenho que fazer um exercício respiratório para não sair correndo para vomitar.
É bem desagradável.
Mas também é a única forma que tenho de saber que meu bebê está aqui comigo... afinal, ele é tão pequeno ainda que não dá pra senti-lo.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Moda ge$$$tante

Você está grávida. Vivendo as delícias, e alguns desconfortos, nessa fase tão linda da vida de uma mulher.
Mas também é uma fase cara... você precisa montar enxoval, reformar a casa, comprar milhares de objetos absolutamente necessários (carrinho de bebê, cadeirinha para o carro) e como se não bastasse, suas roupas não te cabem mais. Precisa comprar novas. E aí você toma um susto!

Uma calça de gestante não custa menos de R$ 200,00
Uma bata não sai por menos de R$ 60
E é claro que você não vai passar a semana com uma única calça e uma única bata.

Não sei se é o mercado brasileiro, os impostos, o PT... só sei que uma peça aqui custa quase 6 vezes mais que no exterior. E é claro que se você for comprar uma calça que vai ser usável por 3, 4 anos tudo bem pagar R$ 200... mas uma calça de grávida lhe é útil por, no máximo, 4 meses (enquanto a barriga está grande).
Algumas mulheres (acredito que a maioria) simplesmente usa as mesmas calças jeans de antes, com cós baixo ou calças legging e de moletom. A auto-estima vai pro ralo, porque parece que você está saindo de pijamas pra trabalhar... mas num país onde mais de 40% da população depende de auxílio do governo pra viver, uma gestante não tem como se vestir como gestante com esses preços impraticáveis.

Sim, eu me revolto! Porque não sou a única grávida do mundo com vaidade.
E acho que todas as mulheres merecem se sentir lindas no momento mais lindo da sua vida.

Plano de parto

Quando Malu nasceu, há 5 anos, não sabia da existência de um plano de parto. Para dizer a verdade, minha relação com meu médico era tão boa que ele e eu concordávamos que o parto deveria ser um momento sublime e que meu bebê deveria receber os melhores cuidados.
Tanto foi assim que Malu só foi separada de mim porque EU tive complicações e acabei indo parar na UTI.
Hoje em dia vejo tanta gente falando em Plano de Parto que resolvi pesquisar e olha que surpresa! O plano de parto é um documento que a gestante faz detalhando o que ela quer na hora do nascimento do seu bebê. Oras, mas isso não deveria ser de comum acordo entre ela e seu médico de confiança?
Gente, eu não estou criticando o Plano de Parto, mas estou questionando a relação médico/paciente, sim!
Que tipo de relação essas pessoas têm durante nove meses (no meu caso, muitos anos, pois meu obstetra é meu ginecologista e eu me consulto regularmente todos os anos) para que seja necessário um documento explicando item a item o que a gestante quer.
Fiquei assustada, sim.
Enfim, estou de 10 semanas, ainda é cedo para pensar o que vai ser na hora H, mas eu não precisei de plano de parto na primeira vez e pretendo não precisar agora.
Acho que se você confia no seu médico, não tem o que temer.
Tudo vai dar certo.

domingo, 25 de maio de 2014

estar grávida

Estar grávida é uma bênção.
É mágico.
Você está carregando uma vida em seu ventre... uma pessoa de verdade. Uma pessoa que, quando sair, vai se desenvolver, ter suas impressões, formar suas opiniões... ou seja, o filho dentro de você não é uma extensão de você. É um ser tão individual e independente que, mesmo no útero, já impera.
E disso eu entendo...
Meu bebê está com quase 10 semanas, mas eu já sei do que gosta e do que não gosta.
Por exemplo: não curte pasta de dente sabor menta, não gosta de base com perfume e detesta peixe... sim, queridos, baste eu me deparar com o cheiro ou gosto dessas coisas e PLAFT!! Náuseas na certa.
 Fonte: bebe.com.br

Então o jeito é ir se adequando, evitando alimentos, quando a barriga crescer, atentar mais pras posições na hora de sentar e deitar.
Mas mesmo com alguns enjoos, preguiça, sono, irritabilidade, prisão de ventre e intolerância alimentar, não tem nada mais lindo e emocionante que gerar um filho.
E eu estou amando estar grávida denovo.
E estou ansiosa pra ver meu bebê no próximo ultrassom, ouvir seu coraçãozinho bater forte e saber que ele está saudável, perfeito, crescendo protegido e feliz =D

terça-feira, 20 de maio de 2014

9 semanas

Me descobri grávida com 6 semanas, mas só consegui fazer o ultrassom com 7.
Ainda não sei o sexo, mas sinceramente, torço pra ser outra menininha (porque AMO o universo feminino!)
Meu bebê tem 5 mm e parece uma ervilha (palavras da ultrasonografista).
Malu está radiante, feliz da vida por ser "promovida a irmã mais velha" e conversa com a barriga o tempo todo.
O G.O que fez o parto da Malu não atende mais meu convênio e, apesar de eu me dar superbem com ele, a consulta é uma facada e eu não estou podendo... sem contar que preciso reformar o quarto da Malu pra chegada do novo bebê e fazer todo o enxoval... sem contar que eu ainda não sei quanto custa o parto!! Enfim, o jeito é procurar outro médico.
Aliás, marquei consulta com o primeiro candidato para sexta-feira agora.
Gente, eu leio tanto, em tantos lugares sobre parto natural e parto normal... sinto que há um movimento intenso pra convencer a mulherada que se você não tem filho vaginal, você não é mãe, que eu to apavorada.
Sinceramente, Malu nasceu de cesárea e foi ótimo pra mim (eu tive pressão alta no final da gestação e acho que foi mesmo a melhor opção pra nós duas) e juro que morro de medo de episiotomia (e nenhum médico no planeta vai garantir que não vai fazer isso na hora H).
Enfim, sendo absurdamente sincera, eu não tenho coragem de tentar parto normal.
Devo me sentir culpada por isso?

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Grata surpresa

Oi gente.
Preciso contar algo incrível que descobri no último dia 1.
Estou grávida!!!
Enfim, tive aquele problema com a coluna que me deixou de cama, depois disso comecei a tomar remédios para dor e me sentir muito enjoada, muito mesmo... ao ponto de correr pro banheiro de madrugada com náuseas. Mas eu achava que tudo era do remédio então parei de tomar e passei a suportar a dor, mas o enjoo continuou. Até que no dia 01/05 eu pedi para meu marido comprar um teste de farmácia.
Ele ficou indeciso, fez contas e disse: eu acho que você está grávida mesmo, bem. (ele advinhou a primeira gravidez antes que eu começasse a passar mal)
Mesmo assim eu quis fazer o teste;
Nem precisamos esperar os 5 minutos que pede a caixinha. Imediatamente apareceram dois pauzinhos mostrando que SIM!!!
Estou animada, preocupada (por que fiz ressonância) e muito, muito ansiosa (notei que comecei a comer demais nesses dias... preciso me controlar!!)
Enfim, ainda não sabemos de quanto tempo estou. Estamos esperando o primeiro ultrassom, que faremos dia 12/05;
Ai, rezem por nós... estou muito aflita com todo meu histórico de remédios pra dor, pilates, fisioterapia e ressonância... afinal, eu não sei quanto tempo esse bebezinho está aqui dentro e estou preocupada.
Depois da ultra eu volto pra contar.