domingo, 5 de janeiro de 2014

O tema é: Esteatose hepática

Então, depois da comilança vem a ressaca. E não apenas das bebidinhas a mais, mas também do excesso de gorduras e açúcares que colocamos dentro de nós.
As delicias que nos convidam a prová-las não são simples docinhos ou salgadinhos... são verdadeiros perigos para seu organismo.
Eu sei que parece exagero, mas com o tempo, sem notarmos, nosso organismo vai ficando... digamos, cheio daquilo que comemos e bebemos... e o órgão que mais sofre com nossos excessos é o fígado.
Essa coisinha fofa  é responsável pela nossa digestão e é o segundo maior órgão do corpo humano.

Todo mundo sabe que o fígado é capaz de se regenerar (Graças a Deus), mas nem  por isso podemos comer e beber tudo que aparece na nossa frente.
Prova disso é que o fígado também fica doente e aí a coisa fica feia pra nós.

No meu caso, específico, tenho Esteatose Hepática, que trocando em miúdos é o mesmo que ter gordura no fígado.

E é grave, doutora?
Ah... vamos aos fatos: O fígado se regenera, então com algumas trocas simples o quadro se reverte e você volta ao status quo. Porém, você pode criar um "efeito sanfona" a medida que não se cuida direito, ou seja, do mesmo modo que se a gente comer demais, engorda, o fígado também engorda (to sendo bem simplista, tá?)
Mas o importante aqui é manter uma alimentação balanceada, procure fazer um detox caso você tenha exagerado no dia anterior, dê preferência a sucos e folhas verdes escuras e tente (tente!!!) evitar comidas gordurosas ou açucaradas durante alguns dias.

Ah, e não é só gordo ou alcoólatra que desenvolve doença no fígado, então não seja bobo de achar que "com você isso não vai acontecer". Eu bebo pouquíssimo e peso 57kg e, voilá!

Mantenha esse pensamento: se cuidar é sempre mais fácil que se tratar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário